Imprimir

Print Friendly and PDF

QUAL A DATA DE HOJE?

Seja bem-vindo. Hoje é

GRATO PELA VISITA

9 de maio de 2017

A ORAÇÃO É O CANAL DE COMUNICAÇÃO QUE TEMOS COM DEUS.















O NOSSO SALVADOR ORIENTA-NOS COMO ORAR.

Está escrito no evangelho de Lucas:

Certo dia o Messias estava orando em determinado lugar. Tendo terminado, um dos seus discípulos lhe disse: "Mestre, ensina-nos a orar, como João ensinou aos discípulos dele".

A oração é importante. TODOS os que querem seguir o Salvador sabem que a oração é parte essencial da vida do discípulo. Entretanto, poucos oram e muitas vezes, quando oramos, parece que lutamos para nos expressarmos ao Criador. Embora possa parecer que a oração deveria vir a nossa boca como uma expressão confortável de nossa fé e confiança no Altíssimo, ela frequentemente parece difícil, talvez ineficaz.

Os primeiros seguidores do Messias observaram seus hábitos de oração. Eles o viram frequentemente procurando UM LUGAR DESERTO PARA FALAR COM SEU PAI. Numa ocasião dessas, eles pediram sua ajuda. Também desejamos comunicar- nos com o Criador como seu filho estava fazendo. "Senhor, ensina-nos a orar".

O nosso Salvador fez como eles pediram. Ele os ensinou como orar, tanto por suas palavras como por seu exemplo. Ele orava frequentemente, fervorosamente e com grande fé naquele que estava ouvindo aquelas orações. Através do exemplo de sua vida, ele está ainda nos ensinando a orar.

A resposta imediata do Salvador ao pedido dos apóstolos foi:
Ele lhes disse: “Quando vocês orarem, digam: ‘Pai”! Santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino.
Dá-nos cada dia o nosso pão cotidiano.
Perdoa-nos os nossos pecados, pois também perdoamos a todos os que nos devem. E “não nos deixes cair em tentação”.
Está escrito no evangelho de Lucas.

O nosso Salvador não estava ensinando palavras para serem memorizadas e recitadas; ele estava ensinando a orar. Ele deu um exemplo que mostra que tipo de coisas que devemos incluir em nossas orações.
 Devemos:

REVERENCIAR E GLORIFICAR AO CRIADOR: "Pai, santificado seja o teu nome". Grandes orações de grandes homens e mulheres são sempre proferidas com grande respeito ao Pai. Quando Moisés, Ana, Davi, Daniel, Neemias e outras importantes personagens da era do Velho Testamento oraram, começaram com declarações de genuína reverência ao Pai, como criador e comandante do universo.

BUSCAR A VONTADE DO ALTÍSSIMO: "Venha o teu reino". A oração não é um instrumento para manipular o Criador para que faça nossa vontade. Aqui, o nosso Salvador orou pelo reino do Altíssimo, sabendo que esse reino só poderia vir com todo o seu poder através da sua própria morte. Aqui, como na oração agonizante no Getsêmani, o Salvador colocou a vontade do Pai acima de seus próprios interesses:

"Todavia, não seja como eu quero, e sim como tu queres”.
Está escrito no Evangelho de Mateus.

Quando vemos a oração como nada mais do que uma oportunidade de fazer pedidos ao Pai, colocamos a vontade do servo indevidamente acima da vontade do Criador. Deveremos sempre procurar fazer a vontade do Pai.

RECONHECER NOSSA DEPENDÊNCIA DO CRIADOR PARA AS NECESSIDADES FÍSICAS: "O pão nosso cotidiano dá-nos de dia em dia". Esta não é uma exigência de abundância e riqueza. O Salvador nem praticou, nem ensinou a noção materialista de que o discípulo pode "dizer e exigir" o que quer na oração. Diferentemente das orações de muitos, hoje em dia, que se aproximam do Criador como crianças mal criadas exigindo tudo o que querem, o nosso Salvador mostrou aqui uma dependência do Pai para as necessidades básicas da existência diária. Precisamos do Criador todos os dias.

RECONHECER NOSSA DEPENDÊNCIA DE DEUS PARA AS BÊNÇÃOS ESPIRITUAIS: "Perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a todo o que nos deve. E não nos deixeis cair em tentação". Necessitamos do perdão. Só o Criador tem o direito e o poder para perdoar. Segundo, precisamos perdoar. Nossa comunhão com o Criador é condicionada a várias coisas, incluindo-se como tratamos as outras pessoas. Quem se recusa a perdoar outro ser humano simplesmente não será perdoado pelo Criador. Terceiro, precisamos do auxílio do Criador para que não pequemos. O Criador não é apenas um guarda-livros registrando os pecados cometidos e apagando-os depois. Ele tem poder para nos auxiliar a derrotar o inimigo. Paulo garantiu que há um jeito de escapar de cada tentação. O Salvador "é poderoso para socorrer os que são tentados". Ele nos deixou exemplo perfeito de obediência para encorajar nossa fidelidade. Na hora de sua mais difícil tentação, o Salvador voltou-se para seu Pai em oração fervorosa. Depois daquelas orações ele saiu do Getsêmani preparado para suportar o poder das trevas, e sofreu o ridículo e a morte para cumprir a vontade de seu Pai. O Salvador encontrou o auxílio necessário quando apelou para seu Pai, EM ORAÇÃO.


Leia a Escritura.

2 de maio de 2017

CONHECENDO O ADVERSÁRIO DE NOSSAS ALMAS.












SATANAS ESTÁ NO CÉU OU NA TERRA?

Satanás circula nessas duas esferas. Não é onipresente, nem onisciente, mas capaz de ir de um lado para outro e também tem a seu serviço um número incontável de assessores — ANJOS CAÍDOS E ESPÍRITOS IMUNDOS — para fazerem o seu trabalho, enquanto ele se ocupa com as questões mais importantes.

Na tentação de Jesus ele estava na terra tentando o Senhor. "Então, foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo." No livro de Jó ele estava no céu. "E vindo um dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles." Em Efésios somos exortados a lutar contra as potestades do mal nos lugares celestiais, ou seja, nos céus. "Porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.".

Ao contrário do que alguns pensam, Satanás ainda não foi expulso do céu. Talvez o equívoco ocorra por Satanás ser um anjo caído, e alguns acharem que isso significaria que ele caiu do céu. Mas esse "CAÍDO" é no sentido de sua posição. Quando uma autoridade cai isso não significa que ele tenha levado um tombo ou sido expulso do lugar onde morava. Ele simplesmente perdeu sua posição e cargo de autoridade.

A queda de Satanás, no sentido posicional e não geográfico, pode ser vista em Isaías:

Como você caiu dos céus, ó estrela da manhã, filho da alvorada! Como foi atirado à terra, você, que derrubava as nações!
Você que dizia no seu coração: “Subirei aos céus; erguerei o meu trono acima das estrelas de Deus; eu me assentarei no monte da assembleia, no ponto mais elevado do monte santo”.
“Subirei mais alto que as mais altas nuvens; serei como o Altíssimo”.



Em Ezequiel:

Filho do homem erga um lamento a respeito do rei de Tiro e diga-lhe: Assim diz o Soberano, o Senhor: Você era o modelo da perfeição, cheio de sabedoria e de perfeita beleza.
Você estava no Éden, no jardim de Deus; todas as pedras preciosas o enfeitavam: sárdio, topázio e diamante, berilo, ônix e jaspe, safira, carbúnculo e esmeralda. Seus engastes e guarnições eram feitos de ouro; tudo foi preparado no dia em que você foi criado.
Você foi ungido como um querubim guar­dião, pois para isso eu o designei. Você estava no monte santo de Deus e caminhava entre as pedras fulgurantes.
Você era inculpável em seus caminhos desde o dia em que foi criado até que se achou maldade em você.
Por meio do seu amplo comércio, você encheu-se de violência e pecou. Por isso eu o lancei, humilhado, para longe do monte de Deus, e o expulsei, ó querubim guardião, do meio das pedras fulgurantes.
Seu coração tornou-se orgulho sopor causa da sua beleza, e você corrompeu a sua sabedoria por causa do seu esplendor. Por isso eu o atirei à terra; fiz de você um espetáculo para os reis.
Por meio dos seus muitos pecados e do seu comércio desonesto você profanou os seus santuários. Por isso fiz sair de você um fogo, que o consumiu, e reduzi você a cinzas no chão, à vista de todos os que estavam observando.



E a maior evidência de que ele e suas hostes continuam no céu é a passagem de Efésios:

Pois a nossa luta não é contra seres humanos, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais.


Somos exortados a lutar em oração "contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, NOS LUGARES CELESTIAIS". Se Satanás e seus anjos já tivessem sido expulsos dos "lugares celestiais" e vivessem hoje exclusivamente na terra, Paulo teria nos enganado em relação ao alvo para onde apontar nossas armas.

Este é apenas mais um dos equívocos da Teologia do Pacto que considera o Apocalipse um livro meramente simbólico que descreve coisas que já teriam acontecido ao longo da história. Os que dizem isso fazem do apóstolo João, NÃO um profeta, mas um historiador.

O diabo será expulso do céu juntamente com seus anjos, que ainda não aconteceu. Então ele estará em tempo integral na terra perseguindo "a mulher que dera à luz o varão". Essa mulher de quem veio o Varão que derrotou o diabo É ISRAEL, pois "sabemos porque a salvação vem dos judeus". Isso nos fala do tempo de grande tribulação pela qual passará o remanescente judeu fiel que irá se converter após o arrebatamento da Igreja. A passagem completa você vê a seguir:

"E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o diabo e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele. E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora chegada está a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derribado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite. E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram a sua vida até à morte. Pelo que alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Ai dos que habitam na terra e no mar! Porque o diabo desceu a vós e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo. E, quando o dragão viu que fora lançado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o varão."


Leia a Escritura.


23 de abril de 2017

QUE OS MAIS VELHOS ENSINEM OS MAIS JOVENS SOBRE AS ESCRITURAS.















DEVEMOS FAZER UM CURSO DE TEOLOGIA
PARA ENTENDERMOS AS ESCRITURAS?


A rigor o estudo de teologia foi emprestado do catolicismo. NÃO existe qualquer indicação na Palavra para que se criassem escolas teológicas como as que vemos hoje. Há, obviamente, a exortação para que os mais velhos ensinassem os mais jovens, mas isso é muito diferente de se criar uma grade curricular, fazer provas, tirar diplomas etc.

Por sinal, quem poderia de sã consciência e dentro do que aprendeu com o Criador, dizer-se "Doutor em Divindade" ou "Mestre em Bíblia"? E considerando que "Subindo (o nosso Salvador) ao alto, levou cativo o cativeiro, E deu dons aos homens". Quem poderia considerar que seu dom de pastor lhe foi outorgado por uma junta de homens após ter concluído um curso universitário?

O que se ver hoje na cristandade passa batido porque nos acostumamos (como é o caso das faculdades de teologia, títulos eclesiásticos etc.), mas se fizéssemos um exame minucioso dessas coisas nas Escrituras para, como os de Beréia, ver se essas coisas eram de fato assim, ficaríamos extremamente surpresos.

O melhor lugar para o cristão aprender é quando se reúne com seus irmãos em liberdade do Espírito, para que Ele possa usar o dom que Ele escolher (e não apenas um orador previamente diplomado e designado para isso) para a edificação do corpo.

"Porque todos podereis profetizar, uns depois dos outros; para que todos aprendam, e todos sejam consolados".

Quando ouvimos a leitura de um versículo é preciso ler o imediatamente anterior para entender o contexto:

"Estas coisas vos escrevi acerca dos que vos enganam. E a unção que vós recebestes dele, fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim nele permanecereis".

João está falando do antídoto contra o engano, que é o Espírito Santo que habita no crente e o capacita a entender a Palavra do Criador e a discernir se uma voz qualquer não é a do Pastor.

Obviamente este "não tendes necessidade de que alguém vos ensine", não diz respeito ao crente não precisar mais aprender de outros cristãos, mas está relacionado aos que enganavam e tentavam ensinar coisas que não tivessem sido ensinadas pela Palavra do Criador revelada aos apóstolos, verbalmente na ocasião, ou como a temos hoje nas epístolas.

Quanto à necessidade de aprender uns dos outros (aquilo que é segundo a Palavra), foi para isso que "ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo do Messias".

Isso NÃO TEM NADA A VER com faculdades que concedem títulos através de uma junta de homens, títulos esses para os quais usam os mesmos nomes dos dons que só podem ser dados pelo Messias.


Leia a Escritura.